Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Convênios > Assuntos > Comercio Exterior > Metarlurgia e Siderurgia
Início do conteúdo da página
Convênios

Metarlurgia e Siderurgia

Publicado: Quinta, 28 de Janeiro de 2016, 15h04 | Última atualização em Quarta, 10 de Fevereiro de 2016, 14h06

Dados Consolidados da Indústria Brasileira de Alumínio - 2012

Dados Consolidados da Indústria Siderúrgica Brasileira - 2012

Dados Consolidados dos Setores de Chumbo, Níquel e Zinco - 2012

O Setor Metelúrgico Brasileiro

O setor metalúrgico apresenta expressiva importância no cenário econômico brasileiro, com vasta cadeia produtiva dos segmentos ligados à metalurgia, usinagem e produção de manufaturados metálicos, sendo base de outras atividades relevantes para o país, como a indústria automobilística, construção civil e bens de capital. Embora a indústria brasileira venha sendo afetada pela crise internacional, o PIB do setor siderúrgico, em 2011, avançou 1,6%, em relação ao ano anterior, atribuído, principalmente ao desempenho das indústrias da construção civil e automobilística. Analisando o período 1970/2011, observa-se que a indústria tem demonstrado expansão, passando o PIB setorial de US$ 17,2 bilhões, em 1970, para US$ 58,7 bilhões, em 2011. Em 2011, apresentou um faturamento de aproximadamente US$ 85 bilhões.

A balança comercial do setor metalúrgico, tradicionalmente superavitária, apresentou, em 2011, saldo da ordem de US$ 9,8 bilhões, superando em mais de 100% ao do mesmo período do ano anterior, com exportações no valor de US$ 21,5 bilhões e importações de US$ 11,7 bilhões. As exportações, nesse último ano, participaram com 8,4% do total das exportações brasileiras. Os principais responsáveis pelo desempenho positivo das vendas externas brasileira de produtos metalúrgicos são o aço, com participação de 39% do setor, que superou em 45% o valor de 2010; ferroligas com 11% (destacando-se ferro-nióbio com 8%); ferro gusa e fundidos, ambos com participações da ordem de 7%.

O consumo per capita de materiais é um indicador de desenvolvimento econômico de um país. Para alguns metais e ligas selecionados, percebe-se acentuado crescimento até 1980, um período de estagnação até 2000, e médio crescimento nesta década, aparentemente em correspondência com a evolução do PIB per capita. O consumo per capita desses materiais, entre outros, apresenta níveis de 3 a 6 vezes maiores nos países mais industrializados em relação aos países em desenvolvimento. Nesses países, os níveis de consumo per capita atenderam a se estabilizar em diferentes faixas a partir de determinado patamar de PIB per capita. A comparação com a média mundial de consumo, em 2011, mostra a posição inferior do país em alguns metais, principalmente em aço. Internamente, a assimetria regional em consumo de materiais é mostrada na Tabela 3, para o aço e alguns materiais não metálicos. Por outro lado, indica o grande potencial de crescimento do consumo per capita interno, com o atendimento das demandas de infraestrutura e o aumento do poder de consumo da população.

Fonte: MME

 

Para mais informações sobre cada um dos setores metalúrgicos, acesse os links à direita desta tela.

 

Outras Informações:

Coordenação-Geral das Indústrias Intensivas em Recursos Naturais (CGRN)
Departamento de Indústrias Intensivas em  Mão de Obra e Recursos Naturais (DEORN)
Secretaria do Desenvolvimento da Produção (SDP)
Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC)
Esplanada dos Ministérios, Bloco J, Sala 416
CEP 70053-900 – Brasília – DF
Fone: + 55 61 2027-7054
Fax: + 55 61 2109-7411
E-mail: Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo.

registrado em: ,
Fim do conteúdo da página