Ir direto para menu de acessibilidade.
Página inicial > Comércio Exterior > Regimes de Origem > Uncategorised > PROCEDIMENTOS PARA HABILITAÇÃO DE ENTIDADES EMISSORAS DE CERTIFICADOS DE ORIGEM NO COD
Início do conteúdo da página

PROCEDIMENTOS PARA HABILITAÇÃO DE ENTIDADES EMISSORAS DE CERTIFICADOS DE ORIGEM NO COD

PROCEDIMENTOS PARA HABILITAÇÃO DE ENTIDADES EMISSORAS DE CERTIFICADOS DE ORIGEM NO COD

1. A partir de 10/05/2017 as entidades emissoras de certificados de origem relacionadas no Anexo XXII da Portaria Secex nº 23 e habilitadas para emissão do COD poderão emitir COD válidos para a Argentina no âmbito dos acordos ACE 14 e ACE 18.

2. A partir de 03/05/2017 as entidades emissoras de certificados de origem relacionadas no Anexo XXII da Portaria Secex nº 23 e ainda não habilitadas para emissão de COD poderão solicitar a homologação do sistema a fim de emitir COD para a Argentina no âmbito dos acordos ACE 14 e ACE 18.

3. A entidade autorizada deverá solicitar ao DEINT a homologação do sistema emissor de COD por meio de mensagem eletrônica conforme disposto no item MODELO DE SOLICITAÇÃO DE INCLUSÃO DE ENTIDADE PARA HOMOLOGAÇÃO NO COD, dirigida à COREO, endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. .

4. Durante a homologação da entidade, a comunicação entre o DEINT e a entidade será por meio do endereço Este endereço de email está sendo protegido de spambots. Você precisa do JavaScript ativado para vê-lo. de correio eletrônico.

5. O sistema emissor deverá emitir o COD conforme as especificações contidas no documento ALADI/SEC/di 2327 ver 2, de 15 de setembro de 2014 e suas alterações, assim como os textos dos Acordos e respectivos Protocolos Adicionais vigentes.

6. Os nomes dos arquivos XML e PDF do COD deverão seguir as instruções contidas no Anexo XXX da Portaria Secex nº 23/2011, também descritas no item NOME DO ARQUIVO E NUMERAÇÃO DOS CERTIFICADOS DE ORIGEM.

7. A numeração dos certificados de origem:

a. Em papel, observar o art. 242-A da Portaria SECEX nº 23/2011; e

b. Emitidos por meio de sistema eletrônico obedecerão ao descrito no Anexo XXX da Portaria SECEX nº 23/2011.

8. Previamente à emissão do COD, a entidade e os funcionários que farão a emissão do COD deverão ser cadastrados no Sistema informático de Certificação de Origem Digital da ALADI (SCOD), nos ambientes de Homologação e de Produção.

9. A entidade deverá designar um Funcionário Administrador (FE) para as operações de cadastramento, administração e suspensão dos Funcionários Habilitados (FH) da entidade no SCOD.

10. A assinatura das entidades nos certificados de origem por elas emitidos deverá ser feita na forma de seus estatutos, admitida a emissão de certificados subscritos por prepostos previamente indicados em atos específicos, vedada a atribuição dessa responsabilidade a pessoas não ligadas às entidades, por vínculos estatutários ou trabalhistas.

11. As operações de cadastramento e atualização de dados de FE e FH deverão ser executadas no SCOD de Homologação e no de Produção a fim de manter ambos os ambientes em igualdade.

12. Após cadastramento no SCOD, o FH deverá aguardar 12 horas antes de iniciar as emissões do COD com sua assinatura digital.

13. São atribuições do FE, conforme o Anexo XXX da Portaria 23:

a. Manter os dados da entidade atualizados junto a Autoridade Habilitante (AH), no caso, o MDIC;

b. Manter seus dados de FE atualizados junto a AH;

c. Atualizar sua assinatura digital (CID) no SCOD, antes da data de vencimento;

d. Cadastrar os demais FE da entidade;

e. Cadastrar os Funcionários Habilitados (FH) da entidade; e

f. Atualizar os CID, habilitar e desabilitar CID dos FE e FH da entidade.

ATENÇÃO 1: O desligamento do funcionário da entidade, seja FE ou FH, requer imediata exclusão dos respectivos registros e CID no SCOD.

ATENÇÃO 2: Vencida a assinatura do FE, outro FE poderá atualizá-la. Caso não tenha outro FE na entidade, solicitar ao FA da AH.

14. A entidade poderá ter até 5 FE cadastrados no SCOD.

15. O FE deverá cadastrar pelo menos um FH na entidade.

16. Cabe ao FH:

a. Assinar o COD por parte da entidade emissora;

b. Manter seus dados atualizados junto ao FE;

c. Solicitar ao FE a atualização do seu CID no SCOD preferencialmente antes da data de vencimento.

17. A página inicial de acesso ao sistema emissor de COD deve conter a identificação da entidade autorizada.

18. Para implementar a emissão do COD, a entidade deverá ser aprovada em todas as etapas de testes do sistema definidas pelo DEINT.

19. A relação atualizada das entidades homologadas e habilitadas a emitir COD estará publicada no sítio do MDIC, na página de Certificação de Origem Digital.

ATENÇÃO: A habilitação para operar no COD é para a entidade e não para o Sistema. portanto, cada entidade deverá requerer sua habilitação, independentemente do Sistema que estiver utilizando/utilizará.

Fim do conteúdo da página