Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Conselho de Administração da Suframa encerra 2016 com 2,5 bilhões de dólares em projetos aprovados

foto cas

Órgão retomou agenda bimensal de encontros, o que não ocorria há quatro anos, com a presença do ministro Marcos Pereira na presidência pela terceira vez em seis meses

Manaus (6 de dezembro) – Sob a presidência do ministro da Indústria, Comércio Exterior e Serviços, Marcos Pereira, pela terceira vez este ano, o Conselho de Administração da Suframa (CAS) encerrou hoje a sexta reunião de 2016 com a aprovação de 26 projetos. No total, a pauta prevê investimentos de quase meio bilhão de reais (US$ 145,7 milhões) e a geração de, pelo menos, 398 empregos diretos no Polo Industrial de Manaus (PIM) em três anos. Desde 2012, o CAS não cumpria o calendário bimensal de reuniões. 

A regularidade dos encontros, que passaram a contar com a presença do ministro Marcos Pereira, representa um avanço nas relações do governo federal com o setor produtivo local. Desde que assumiu o MDIC em maio, o ministro firmou compromisso de presidir as reuniões do CAS em uma demonstração de que o governo do presidente Michel Temer, na fase atual, aposta no segmento para reaquecer a economia e gerar empregos.

"Nós estamos cumprindo com aquilo que prometemos: empenho com o projeto Zona Franca de Manaus, Suframa e Polo Industrial de Manaus, para que possamos alavancar investimentos e gerar empregos", destacou o ministro.

Com a realização do encontro desta terça-feira, o CAS somou a aprovação de mais de US$ 2,5 bilhões em investimentos totais acumulados em 2016. Com isso, a previsão é gerar 3.295 empregos diretos nos primeiros três anos de implantação dos projetos chancelados. "Estamos confiantes que os números de emprego devem melhorar no próximo ano porque estamos trabalhando para que isso aconteça, em conjunto com as empresas", avalia Marcos Pereira. 

Para a superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, o balanço de projetos apreciados é positivo não apenas pelos valores que serão aplicados no PIM, mas também pela previsibilidade demonstrada pelo CAS. “Batemos o recorde de investimentos totais aprovados na última reunião, ultrapassando a marca de um bilhão de dólares. Hoje, pouco mais de 30 dias depois, contar com mais sete projetos de implantação na pauta é um fato positivo que devemos ressaltar”, disse.

Entre 2012 e 2015, foram realizadas 17 reuniões ordinárias do Conselho: seis em 2012, cinco em 2013, três em 2014 e três em 2015. Entre agosto de 2014 e abril de 2015, o CAS chegou a ficar aproximadamente nove meses sem reuniões.

Reuniões itinerantes

Além de manter a regularidade da agenda, os encontros do CAS serão itinerantes em 2017. A mudança foi sugerida pelo ministro Marcos Pereira na primeira vez que presidiu a reunião ordinária do Conselho. A proposta é aproximar a Suframa dos demais estados da região Norte. 

Estão previstas reuniões em Manaus (AM), Macapá (AP), Boa Vista (RR), Porto Velho (RO) e Rio Branco (AC). "Devemos promover a regionalização dos esforços e investimentos. Aguardamos para 2017 muito trabalho. Estamos construindo um Estado menor, menos interveniente e mais eficiente", resumiu o ministro, ao encerrar o encontro. 

Projetos

Entre os projetos de implantação previstos estão dois para a produção de câmeras voltadas para circuitos fechados de TV, mostrando um incremento neste segmento.

Apesar da crise, dados da Associação Brasileira das Empresas de Sistemas Eletrônicos de Segurança apontam que o setor cresce, em média, 15% a cada ano. "A aprovação de todos esses projetos é o primeiro passo para que comecemos a recuperar a nossa economia e os empregos", explicou Rebecca.

A empresa Vision Ltda, por exemplo, deve investir US$ 17.5 milhões e contratar 186 pessoas para produzir câmeras, gravadores e sistemas de acesso remoto no PIM. Outra que aposta no setor é a Werk, com investimento de US$ 13,6 milhões em projetos, dentre os quais câmera para circuito fechado e gravadores/reprodutores de sinais de áudio e vídeo, com geração de 68 empregos.

Já entre as empresas que pretendem diversificar a atividade no PIM, a Flextronics espera investir US$ 3.7 milhões na produção de cafeteiras elétricas de cápsulas. Cada vez mais populares no mercado, essas cafeteiras podem ser produzidas em Manaus desde o final de julho, quando foi aprovado o seu Processo Produtivo Básico (PPB). A Flextronic prevê o aproveitamento de 175 trabalhadores em sua unidade no PIM para entrar neste novo segmento.

Na última reunião de 2016, também merecem destaque dois projetos relativos a setores que apostam na recuperação da economia a partir de 2017: linha branca e relógios. A Britânia Componentes apresentou projeto para produzir cavidades de metal para forno de micro-ondas, o que significará investimento de US$ 2.3 milhões. E a empresa MG Gold tem na pauta um projeto para produção de relógio de pulso, com aproximadamente US$ 6 milhões em investimentos totais.

Além do ministro Marcos Pereira e da superintendente da Suframa, participaram da reunião de hoje o prefeito de Manaus, Arthur Virgílio Neto, e o deputado estadual Serafim Correa, representando a Assembleia Legislativa do Amazonas. 

Assessoria de Comunicação Social do MDIC 
(61) 2027-7190 e 2027-7198 
imprensa@mdic.gov.br 
  
Redes Sociais: 
www.twitter.com/mdicgov 
www.facebook.com/mdic.gov 
www.youtube.com/user/MdicGovBr 
www.flickr.com/photos/mdicimprensa 
http://pt.slideshare.net/mdicgovbr 
https://soundcloud.com/mdic

registrado em:
Fim do conteúdo da página