Ir direto para menu de acessibilidade.
Início do conteúdo da página

Startups de impacto socioambiental são destaque no Demoday Inovativa

Ao longo do ano, 229 startups foram aceleradas pelo Inovativa. Deste total, 114 statups foram selecionadas para apresentar seus negócios a 110 invstidores brasileiros

São Paulo (5 de dezembro) - Mais do que gerar lucro e criar trabalho e renda, as startups também podem ter um grande impacto social e ambiental em uma comunidade ou em todo o país. No Demoday realizado nessa segunda-feira, 15 empresas iniciantes com esse perfil, que foram aceleradas pelo programa nesse ciclo ou em edições anteriores, conquistaram lugar de destaque e tiveram um espaço especial para apresentar seus negócios a investidores focados nesse segmento na primeira edição do InovAtiva de Impacto.

São empreendimentos capazes de mudar a realidade de muita gente, como na área de Educação. É o caso da Kiduca, uma plataforma educacional que já beneficiou mais de 10 mil alunos. “O nosso projeto nasceu em escola pública para atender escola pública”, explica o startupeiro Jorge Proença.

Já a Tec Zelt desenvolveu uma tecnologia onde os próprios alunos criam games para aprender o conteúdo educacional. “Estamos em 20 escolas, beneficiando 22 mil alunos”, destaca a fundadora Carla Zelter.

A inclusão financeira foi a preocupação da startup Pop Recarga. Julio Figueiredo explica que a proposta do empreendimento é atender os 55 milhões de brasileiros, ou 40% da população do país, ainda não tem conta em banco. “O nosso objetivo é servir como o cartão de crédito desse público”, explica.

Já a startup Sumá quer reduzir distâncias na área agrícola. “Ela veio para fazer a conexão direta entre os produtores da agricultura familiar e o mercado consumidor”, explica o empreendedor Alexandre Lerípio. A plataforma ajuda a reduzir os intermediários e até mesmo oferece oportunidade logística para aqueles produtores que não conseguem atender às demandas diante dessa dificuldade.

Os problemas da cidade também têm uma nova solução com a Urbotip. O startupeiro Paulo Faulstich criou uma ferramenta para a população reclamar. “Oitenta porcento dos moradores não conhecem os canais para resolver os problemas da cidade”, explica. Segundo ele, isso incluiu buracos, atendimento médicos, entre outros.

Cada vez mais, esses empreendimentos têm atraído um número maior de investidores. “Estou buscando startups de impacto social. Gostei muito e fiquei impressionada com a qualidade”, destaca Claudia Rosa Lopes, investidora representante da Rosa Gestão de Negócios.

Claudia acompanhou a apresentação de alguns empreendimentos durante a manhã desta segunda-feira. Segundo ela, o programa tem se caracterizado por ser uma plataforma não apenas para revelar startups, mas promover a interação com investidores e o ecossistema de inovação e empreendedorismo. “Já investimos em startups das edições anteriores e acompanhamos o desenvolvimento no mercado”, conta.

Assessoria de Comunicação Social do MDIC 
(61) 2027-7190 e 2027-7198 
imprensa@mdic.gov.br 
  
Redes Sociais: 
www.twitter.com/mdicgov 
www.facebook.com/mdic.gov 
www.youtube.com/user/MdicGovBr 
www.flickr.com/photos/mdicimprensa 
http://pt.slideshare.net/mdicgovbr 
https://soundcloud.com/mdic

 

registrado em:
Fim do conteúdo da página